11.1.12

Flying Colors


Não sei quanto ao Dave LaRue, que não sei muito por onde andava, mas esse Flying Colors é uma grande oportunidade para o Steve Morse deixar a mesmice do Purple dos últimos anos; o mesmo para o Neal Morse em sua carreira solo; e, sobretudo, Mike Portnoy conseguir algo realmente relevante depois da sua saída traumática do Dream Theater. A primeira frase do texto de apresentação no site da banda diz que o grupo envolve músicos virtuosos e versáteis junto com um cantor pop, esse Casey McPherson que completa o time. Em outro momento do texto, Casey fala de pop, folk, prog e metal para sugerir as referências da banda. Na produção? Peter Collins, produtor com escola e trabalhos com Rush - entre eles um dos meus favoritos, o Counterparts - Bon Jovi, Queensryche e outros. Acho que tem futuro, tem coisa boa para sair daí.

Por eles:

Nenhum comentário: