3.10.11

Mais RiR


O fim de semana ainda tinha duas ótimas cartas do Rock in Rio: Coldplay com um show surpreendente e um System of a Down, como esperado, pesado e enérgico. Para completar o pacote, Lenny Kravitz fez um ótimo show, mas entrou em um dia que sua música não conseguiu crescer, sem resposta do público. Chris Martin (foto) e seus companheiros estão caminhando cada vez mais como uma das principais bandas pop dos últimos anos. Depois de Viva La Vida, a banda abriu o campo, bebeu de fontes mais artísticas, assumiu as cores e a chuva de papel picado, levantou a cabeça e absorveu outros elementos, alguns trazidos pelo novo produtor, Brian Eno. Tem disco no forno, Mylo Xyloto, que teve seis músicas no set do último sábado. Isso, em qualquer outro show, é praticamente um ato suicida, mas que funcionou com o quarteto. Eles têm bagagem e estão crescendo no palco. Tinha algo no ar e eles transbordaram boas energias.

Uma das bandas mais aguardadas por aqui, o System of a Down fez um show com quase 30 músicas e provou que, no campo pesado, é uma das melhores da última safra do rock americano. Com influências de música árabe que vem da descendência armenia dos integrantes, Serj e Malakian fizeram uma festa quase freak no palco com uma porradaria de alto nível. Os dois ainda são responsáveis por uma chuva de vocais dobrados que caracterizam o som do SOAD e fazem com que a originalidade salte aos olhos de qualquer um que esteja vendo o espetáculo. É impressionante ver os melismas ajustados e cantados com perfeição por Serj e Malakian.

Roberto Medina esteve (muito) distante de uma escalação ideal, mas, mesmo assim, o saldo foi positivo. O parque de diversões da música Rock in Rio cumpriu seu papel e trouxe música para a cidade e não deu outro assunto nos últimos dias. Escalou muita besteira - Rihanna, Maná, Evanescence, Detonautas e outros -, mas teve gigantes como Elton John, Metallica, os citados acima e o grande trunfo Stevie Wonder, que não pisava aqui desde 95. Mainstream sempre será, para desespero de indies e alternativos de plantão, mas o Planeta Terra está aí para balancear e trazer o...The Strokes. E também tem o SWU chegando com uma turma boa. O que importa é a música por perto. Em 2013 tem de novo. 

Nenhum comentário: