7.8.11

Van Hagar

Só dá Van Halen com Sammy Hagar (foto) nos últimos dias. Saía aquela coisa festa do Dave e entrava um som que brilhava, voava mais alto. O alcance do vocal do Sammy impressiona quando você escuta coisas do 5150, primeiro disco dele à frente, e isso dava uma nova trilha à festa. A festa do Van Halen ficou diferente a partir do meio da década de 80. Com essa formação, foram 4 ótimos discos: 5150, OU812, FUCK e Balance. Tenho como favoritos o primeiro e o terceiro, mas os outros dois chegam colados, pouco atrás. A banda ainda lançou, na trilha do filme Twister, a faixa Humans Being, que é um rock inspiradíssimo e que serviu como canto do cisne, já que pouco depois Sammy sairia fora. Lamentável que a banda tenha acabado depois do Balance, pois ao vivo estavam ótimos, em forma, tocando muito. E, mais que isso, é uma pena que, daí em diante, a banda tenha patinado sem rumo, com turnês fracas -- a de reunião do Van Hagar, em 2007, é um desastre -- e com uma tentativa furada em estúdio no Van Halen III, com Gary Cherone (Extreme) nos vocais.

Mas dizem que tem álbum no forno, dessa vez com Dave Lee Roth, e uma turnê sendo agendada. Tem até data marcada já na Australia no fim de setembro. É bom saber disso. Bom saber que tem coisa nova do Van Halen a caminho.

Parece que agora vai. Esperemos.

Nenhum comentário: