17.5.11

no Congo



A World Press Photo, que abre hoje na Caixa Cultura no Rio, traz imagens do fotojornalismo mundial. Uma em especial me chamou atenção: a dessa moça tocando seu violoncelo, com partitura na estante, enquanto tudo parece acontecer ali fora, na cidade, meio caótica. Fui atrás da história e ela é da Kinshasa Symphony, do Congo - ou a única orquestra da África Central. Ela vende ovos num supermercado durante o dia e treina de noite para fazer parte da sinfônica idealizada pelo maestro Armand Diagienda, que começou em 1996 com menos de dez membros aprendendo o básico, revezando os instrumentos, e hoje conta com 200 pessoas. Uma história fascinante de como um país de uma realidade muito difícil conseguiu dar origem à uma orquestra. Em pouco tempo pelo google, cheguei num documentário alemão feito ano passado sobre tudo isso. Não é sensacional? Veja abaixo.


2 comentários:

andrekano disse...

Quando saíram os vencedores do World Press Photo eu bati o olho nessa imagem que até agora, quando a revejo no seu blog, me causa o impacto que é difícil de descrever. Pensando sobre isso, a única forma de entender esse impacto além do óbvio fato de que a composição da imagem mostra justamente o contraste de um cello em meio a esse ambiente de degradação social é a universalidade da música. Eu, que nada tenho a ver com as pessoas do Congo, sinto-me mais próximo delas quando vejo essa imagem. Por causa de um cello, sinto-me um cidadão congolês. Por causa de um cello, cidadão do mundo.

Fernando Neumayer disse...

É exatamente isso que você disse, André. Nos aproxima da coisa. Obrigado pelo comentário. abs