14.3.11

de volta

O blog volta depois do giro europeu deste que escreve. Muitas coisas na mala, que vou soltar aqui aos poucos, à medida que ouvir. O primeiro que está tocando muito bem é o Mondo Cane, projeto de música italiana do Mike Patton, o inquieto do Faith No More, Mr. Bungle, Fantomas e outras bandas. A ideia é um disco com canções clássicas italianas cantadas com orquestra e banda, com Patton encarnando um crooner. Vale dizer que, já no FNM, Patton mostrara esse lado com I Started a Joke, do Bee Gees, e Easy, do Lionel Richie, por exemplo.

Fã do grande maestro Ennio Morricone, casado com uma italiana e morando em Bologna, Patton tornou-se um admirador de música do país da bota. E o resultado disso tudo é esse Mondo Cane, que começou em concertos em dois mil e oito e, depois de ser adiado algumas vezes, virou álbum editado ano passado.

É interessante ver a trajetória de Patton. Daquele jeito moleque, com casaco amarrado na cintura, pulando com o som pulsante do Faith No More, de repente aparecer como crooner de orquestra cantando canções italianas das décadas de 50 e 60. No disco, Morricone é lembrado com Deep Down, do filme Diabolik.

E mais: o projeto passará pelo Rock in Rio, no Palco Sunset, no mesmo dia que Milton Nascimento encontrará Esperanza Spalding.

Nenhum comentário: