4.12.10

Glenn Hughes

Fui à Sempre Música atrás dos ingressos do Glenn Hughes e saí de lá com três cds do próprio: Songs in the Key of Rock, de 2004; From Now On, de 94; e o último First Underground Nuclear Kitchen (FUNK), de 2008. Essa noite foi de overdose, acidental, não estava nos planos enfileirar três de GH. A verdade é que a passada na Sempre Música, loja que frequento há uns 12 anos, valeu, para azar dos bolsos e sorte dos ouvidos. A audição de FUNK confirmou a impressão que tive quando o disco saiu na época: é o melhor de Hughes em muito tempo por casar, assim como o espetacular Feel (95), tão bem o lado funk com o hard rock. E enquanto Glenn Hughes não grava um álbum de black music - será que isso acontece um dia? -, nos brinda com essas músicas banhadas na música negra americana. Ainda no álbum, a faixa título é alto nível, uma das mais funks de sua carreira, e o disco inteiro conta com Chad Smith na batera, já acostumado a dar o groove ao Red Hot, e boas intervenções de um afiado naipe de sopros. É Glenn Hughes em grande estilo. Depois falo dos ótimos From Now On e Songs in the Key of Rock, que faz referência ao clássico LP duplo de Stevie Wonder, Songs In the Key of Life.


Nenhum comentário: