20.11.10

PAUL


Amanhã tem Paul. É para entrar na história. E na foto Linda e Paul. Bonitões. Gostei do que li na Folha ontem, em um artigo no caderno especial de Macca. Não lembro agora o nome de quem fez a análise da coisa Lennon/McCartney, mas falava que, mesmo com a não existência dos Beatles, os dois surgiriam em algum momento com suas canções. Lennon mais na onda dos trovadores Leonard Cohen e Lou Reed, enquanto Paul ficaria com os magos da canção, Billy Joel e Elton John. Faz sentido. Muito. E complemento com a linha de pensamento que Rafael Teixeira, com quem divido o Epístolas Musicais, traçou sobre a personalidade de um ser fundamental para a do outro. Era mais ou menos por aí mesmo, eles se encontravam, onde musicalmente se distanciavam. As personalidades se equilibravam. É por aí. Na segunda, quando estarei de volta, vou tentar contar algo, o que não será fácil.

Nenhum comentário: