1.9.10

Resgatando a era de ouro



Certo que, nos últimos 20 anos, o Iron Maiden produziu apenas dois bons discos - Fear of the Dark, da saída do Bruce, e Brave New World, da volta dele. Mas, ao vivo, a banda continuou grande com shows memoráveis, ignorando aqui a fase com Blaze nos vocais. Ontem, assisti, com atraso, ao Flight 666, dvd que documenta a última turnê da banda, em 2008, quando eles rodaram países como Índia, Austrália, Japão, Costa Rica, Estados Unidos e Brasil, a bordo do próprio Boeing, pilotado pelo vocalista Bruce Dickinson.

A dupla Sam Dunn e Scott Fayden, os mesmos do último filme do Rush, fizeram um ótimo trabalho e o filme é interessante. Mesmo que a novidade fique apenas com o piloto Bruce e o seu avião, é sempre bom ver uma banda pelos bastidores e como encaram a rotina. A turnê foi histórica e resgatou a era Powerslave e tudo que banda fazia em sua melhor época, os anos 80, adicionando apenas a música Fear of the Dark, já década de 90, no set. E, mesmo assim, nem precisava, o repertório tem pérolas, que, perdidas no tempo não apareciam nos últimos shows, como Revelations, Moonchild e a própria Powerslave.

O mais impressionante é ver como Bruce Dickinson, recém-chegado na casa dos 50, consegue cantar da maneira que canta, ainda fazendo aquelas acrobacias no palco, e ser o piloto naqueles 45 dias de turnê com um show a cada dois dias, foram 23 no total. O dvd duplo traz o filme e o show, montado a partir de apresentações em várias cidades. Mesmo Iron Maiden sendo um assunto batido, vale, principalmente pelo resgate da era de ouro.

Nenhum comentário: