21.4.10

a alma de Mayer Hawthorne



Um amigo, sempre com boas dicas, falou sobre Mayer Hawthorne e fui atrás no youtube. O video que abri foi Just Ain´t Gonna Work Out e uma coisa totalmente Marvin Gaye conquistou-me na hora. A voz totalmente soul, o coro e os arranjos não eram, digamos, compatíveis com a imagem de Mayer, que tem uma figura que lembra o pessoal do Weezer ou da série Big Bang Theory. E isso é o que deixa ainda mais interessante o trabalho desse compositor, cantor, produtor, multi-instrumentista, DJ, pelo que vi na Wikipedia.

Fui atrás de seu album de estreia A Strange Arrangement, e tem sido ótima trilha para os últimos dias, me tirando de audições compulsivas do Band on the Run, do Macca. Mayer se mostra um ótimo compositor, além de cantor, ao longo das 12 faixas -- apenas Maybe So, Maybe No não é de sua autoria, vejo no google ser do grupo The New Holidays. As referências são gritantes, além de Marvin Gaye, é possível ver Barry White, Smokey Robinson, Curtis Mayfield etc, de forma genial. Passada a abertura com Prelude, Mayer nos brinda com a faixa-título, uma das melhores do álbum, com uma linha vocal irresistível. Outra que chamou muita atenção -- e é a que toca no momento -- é Your Easy Lovin' Ain´t Pleasin' Nothin', que parece tirada do repertório dos Jacksons 5, assim como Make Her Mine.

Mayer fez um cd brilhante do início ao fim que, ao lado do Back to Black da Amy, já é o grande representante dessa nova onda que resgata o soul e black de décadas atrás. Mayer Hawthorne é altamente recomendável -- doses altas de soul e bom gosto.

addendum: Não que Mayer atualize a linguagem do soul -- Maxwell faz isso muito bem --, mas a linguagem aqui é da época, são canções que remetem de forma instantânea à gravadora Motown, por exemplo, e assusta a maneira que ele executa isso. Li em buscas no google que o executivo da gravadora que lançou Mayer, a Stones Throw, pensou que estava diante de regravações de pérolas obscuras dos anos 60 e 70 -- época de ouro da música negra americana.

Aqui tem uma pequena entrevista com ele.

Um comentário:

Bárbara disse...

Gostei da voz. baixei o disco. Algumas músicas (umas três) realmente me soaram ótimas, mas o disco como um todo não me empolgou...