4.8.09

Maria Gadú

Maria Gadú na cabeça (e no som) nos últimos dois dias. A cantora de 22 anos, abraçada por Caetano, Milton Nascimento e João Donato antes mesmo de lançar seu primeiro cd, realmente tem algo. Sobra bom gosto em composições próprias e releituras de Ne me quitte pas, de Jacques Brel, e A história de Lily Braun, de Edu e Chico. No meio das de sua autoria, Dona Cila é ótima, tem bela letra e vocais de fundo à la Milton Nascimento; e o samba Altar Particular, com violino de Nicolas Krassik, soa perfeito. Sem dúvida, esse disco de Gadú é uma das melhores coisas que a música brasileira ganhou nos últimos anos e, mesmo com a escorregada na última faixa -- Baba, de Kelly Key, Gadú mostrou que sabe das coisas.



Nenhum comentário: