25.6.09

Michael Jackson

Pronto, o dia de hoje entrou para história. De forma triste, mas entrou. Michael Jackson subiu, de repente, claro, sem avisar. Gênio, esteve sempre à frente musicalmente e, ultimamente, passava por muitos problemas e polêmicas. Como disse Ed Motta agora pouco na Globo News - e é o que sempre pensei - a sociedade e a imprensa o pressionavam de todas as formas, cobravam cada passo, cada atitude, e ele, por sua vez, em sua própria loucura, seu mundo fechado, alimentava isso. Era um lado alimentando o outro e o final é esse que vemos hoje, acabamos de assistir o último capítulo.

Agora, teremos tributos, documentários, filmes, livros, depoimentos em todos os cantos do mundo, uma série de homenagens, e todos olharão para sua obra. Ou seja, tudo que de repente ele precisou durante todos esses anos, mas afundado em esquisitices, era atacado. Ele fechou a cortina, mas a música e os vídeos ficaram. É pegar o Thriller e colocar pra tocar, não tem jeito, Michael foi único, sempre será. Rompeu todas as barreiras, chegou a todas as pessoas, em todos os lugares, e mudou a música.

2 comentários:

Anônimo disse...

Muito triste mesmo... mas para muitos ele continuará vivo, sempre!
Bjao, Lucia

Isabela Marinho disse...

Putz!
O cara foi um ícone, né?!
Inovou tanto na música, quanto no modo de agir. Fez o que deu na telha, e talvez realizando "essas esquisitices" que vc citou, fosse a forma de deixar sua marca no mundo. De dizer: "eu nao tenho medo dos meus impulsos, das minhas emoções". O cara realizou o que quis. E tem outra. Sua mulher disse uma coisa interessante sobre a mudança corporal: "Ele era um artista e escupiu seu próprio corpo". É isso, a obra dele já bastaria! Mas as barreiras que ele rompeu como pessoa, são inesquecíveis.