6.1.09

Russel Allen

Em 1995, a banda Symphony X lançou seu segundo disco chamado "The Damnation Game" e apresentou o brilhante vocalista Russel Allen (foto), que com muita identidade, trazia influências claras de Paul Rodgers e Dio.

A faixa-título é puro metal, mas músicas como "Edge of Forever" e "Whispers" mostram que o o estilo pode ir além. O Symphony soube criar sua mistura de rock progressivo com música clássica e pesada muito bem, deixando para trás as bandas quadradonas do estilo.

Allen lançou um disco solo uns anos atrás tentando fazer uma coisa voltada para o Bad Company, mas alguma coisa não bateu, talvez o forte peso das guitarras, que no Symphony entra. No disco solo, as guitarras poderiam ser um pouco mais leves, mais roquenrou, já que era a proposta.

A verdade é que na banda, Allen é fundamental. Sua veia soul sempre fala mais alto e misturada com o seu lado
heavy deixa o som único. Outro vocalista, de outra escola, talvez não fizesse a banda decolar. Daí pra frente, o Symphony X lançou ótimos discos, cada vez mais progressivos e pesados.




Nenhum comentário: