17.9.08

Salve Freddie

Essa é a capa do disco de Queen+Paul Rodgers, que está saindo lá fora e claro, já tem na internet. Quando anos atrás, eles lançaram um trabalho ao vivo, achei bem legal, era como um tributo ao legado da banda, uma homenagem ao Queen e ao insubstituível Freddie, também.
Algumas canções ficaram ótimas, outras nem tanto, e ainda tinha de bonus umas coisas das bandas do (excelente) Paul Rodgers, Bad Company e Free.

Vale lembrar que o baxista John Deacon, não aceitou o convite e não participou, o Queen é representado por Brian May e Roger Taylor, apenas.

Quando anunciaram um disco de inéditas para esse ano, comecei a achar que a coisa estava indo longe e agora, tenho certeza. Estou na nona faixa do disco, é um ótimo trabalho, mas não é Queen.. Não que Freddie fosse a única coisa da banda, longe disso, mas todos estavam envolvidos com sua presença, era outra época, outra energia. Queen era Freddie Mercury, Brian May, Roger Taylor e John Deacon, este, discreto e essencial.


O disco tem ótimos rocks, "C-lebrity" é um deles, e músicas calmas muito bonitas, como "Small" e "We Believe", mas não soa Queen em nenhum momento. O certo seria dar um outro nome ao projeto, ou simplesmente, May/Taylor/Rodgers.

Um dos maiores vocalistas que o Rock já teve, Freddie Mercury foi além, era único, genial e quando perdeu a guerra, o Queen acabou.

*"Through the Night", faixa 11, acabou de tocar e é ótima. Começou a 12, "Say It´s Not True", com o batera Roger Taylor e Brian May dividindo os versos numa harmonia muito bonita e Paul Rodgers entrando no refrão, talvez a melhor até agora.





Nenhum comentário: