7.5.08

Bona


Conheci Richard Bona através da sua participação no acústico do Lenine um tempo atrás, quando fui procurar saber sobre ele, me deparei com um dos músicos mais talentosos da atualidade, acompanhando nomes de peso como o guitarrista fusion Mike Stern.

Bona nasceu no Camarões e começou no violão até escutar um disco do baixista Jaco Pastorious numa leva de discos de Jazz que um francês deixara com ele, o que mudou sua vida e seu instrumento, Bona hoje é um baixista completo e de alto nível.

Mais tarde Richard Bona foi tentar a vida na França e conseguiu um primeiro trabalho com o tecladista Joe Zawinul (Miles Davis, Weather Report) e então o mundo da música se abriu para o talento do camaronês.

Seu último disco "Tiki" de 2006 é uma mistura de pop e jazz com base e canto afro. Há também uma forte conexão com o Brasil através de participações de Toninho Horta, Marcos Suzano, Djavan e Hélio Delmiro.
Todas as músicas são de autoria de Bona e cantadas em seu idioma afro, exceto "Three Women" que é de Jaco.

Bona é muito musical e sabe das coisas, tem sua identidade.

Nenhum comentário: