30.10.07

Glenn Hughes

Domingo, foi o grande dia do rock. Mesmo com as atenções voltadas para o tal Tim Festival, Glenn Hughes levou um bom público ao Circo Voador. Depois de um atraso e uma banda de abertura chamada Escaleno (que não assisti), o inglês -- pela primeira vez no Rio -- entrou no palco já atacando de "Stormbringer" do disco de mesmo nome do Purple.

Passou ainda por músicas como "Might Just Take your Life", "Gettin Tighter" e "Mistreated" , algumas recentes de "Music for the Divine" e "Soul Mover" fechando a noite com a espetacular "Burn". O show tem poucas músicas - acho que 11 - mas é longo, cheio de jams, improvisos e vocais de Hughes soltos em cima de uma base aqui outra ali.

Em forma com seus 56 anos, de cabelo curto e longe de seu passado afundado em drogas, Glenn mostrou que tem muitor amor pelo que faz, cantou como ninguém e fez um show primoroso. Ainda prometeu que volta em junho de 2008 e -- tomara -- com um set maior.


21.10.07

Bad Company...

Ontem comprei o primeiro LP do Bad Company, de 74. Grande som com Paul Rodgers cantando muito em músicas como "Can´t Get Enough", "Rock Steady", "Bad Company" e a sensacional "The Way Choose". Sobre a recente união de Paul Rodgers e o Queen (foto): é válido, deu uma roupagem nova ao Queen, e isso foi melhor que um clone do Freedie, que transformaria a retomada em banda cover.

6.10.07

Glenn Hughes no Brasil...


Um dos meus heróis vem ao Brasil. Glenn Hughes passará por São Paulo, Curitiba e no Circo Voador, Rio de Janeiro, onde vou assisti-lo.

Lembro que quando comecei a ouvir o "The Voice of Rock", foi um choque, uma mistura de hard rock, com soul, black e funk, fusão que sempre me interessei e que me influencia na maneira de tocar baixo.

Dessa forma, acabei achando no Glenn Hughes, uma referência.

Desde o início com o Trapeze, depois passando pelo Purple - onde deixou a banda altamente funk - também gravando um cd no Sabbath e depois inúmeros projetos (são muitos, alguns até bem regulares), ele sempre tentou colocar um tempero black music no rock.

O show será imperdível, e Glenn cantando ao vivo com certeza é algo sensacional, mesmo com sua idade - talvez perto dos 60 anos de idade - parece cantar cada vez melhor.

E essa semana saiu no site Whiplash, um recado aqui para o Brasil.

"Eu estava esperando há muito tempo poder retornar ao Brasil e esta hora chegou! Preparem-se para o Rock 'N' Soul. Espero ver todos vocês nos shows. Muito obrigado pelo carinho a apoio que vocês demonstram por mim e minha música. Amo vocês".

Rock'N'Soul!!!
O disco da semana é "Tutu" de Miles, com produção e composição quase na íntegra de outro mestre do baixo, Marcus Miller.
Mas escutei coisas legais na semana, como o novo da Maria Rita e também "Matizes" de Djavan.